setembro, 2010

...now browsing by month

 

Entrevista de Linus Torvalds ao G1

quinta-feira, setembro 2nd, 2010

O homem responsável por escrever as linhas mais influentes do mundo contemporâneo poderá, enfim, tirar férias no lugar de seus sonhos. “São apenas três dias em Fernando de Noronha, é tempo suficiente?”, pergunta o finlandês Linus Torvalds, 40 anos. As férias haviam começado oficialmente minutos antes, quando ele recebeu os aplausos das cerca de 800 pessoas que acompanharam seu discurso de abertura do LinuxCon 2010, em São Paulo. O evento reuniu programadores, distribuidores e entusiastas do sistema operacional livre Linux.

Torvalds escreveu as primeiras linhas de código de programação do núcleo do Linux em 1991, quando estudava ciências da computação na Universidade de Helsinque. “Era apenas um hobby. Ainda é um hobby, na verdade”, contou Torvalds em entrevista exclusiva ao G1. “O fato de que também é meu trabalho é, para mim, secundário. Eu ainda desenvolvo o Linux não porque me pagam, mas porque é a coisa mais interessante que eu me imagino fazendo.”

Vinte anos depois, o hobby do jovem “hacker”, que queria apenas ver se era capaz de criar seu próprio sistema operacional, é praticamente onipresente. Ele é a base da internet: mais de 50% dos computadores que armazenam e distribuem conteúdo da web utilizam o sistema.

Era apenas um hobby. Ainda é um hobby, na verdade”
Linus Torvalds

Até quem está longe da Internet acaba tendo, mesmo que indiretamente, contato com a obra de Linus Torvalds. Há desde elevadores a cafeteiras elétricas com controle baseado em Linux. Desde 2006, o programa está nos computadores que fazem o controle do tráfego aéreo nos Estados Unidos. As transações financeiras das bolsas de valores de Nova York, Tóquio, Chicago e Londres, por exemplo, são registradas em supercomputadores rodando Linux – das 100 máquinas mais potentes em operação no mundo, apenas dez usam sistemas diferentes.

Do outro lado do espectro de poder computacional estão os pequenos telefones celulares, que também são capazes de rodar Linux. O Android, sistema criado pelo Google, é baseado em Linux. “Nos EUA, o Android vende mais que o iPhone. Isso facilita no desenvolvimento do sistema, fica mais fácil encontrar pessoas dispostas a criar programas para este formato”, comemora Torvalds.

A telefonia celular é uma chance do Linux, enfim, ser o sistema preferido do usuário comum. Na era dos computadores pessoais, o domínio ficou, claramente, nas mãos da Microsoft. O Windows está em 91% dos PCs. “Isso não importa, em breve o sistema do computador vai se tornar irrelevante”, prevê Torvalds.

Não, Torvalds não aposta na substituição dos computadores tradicionais por máquinas como o iPad da Apple. “Acho inconveniente, é grande demais para colocar no bolso, a não ser que você tenha um bolso bem grande.”

Mas para ele,a irrelevância do sistema operacional passa pelo telefone celular e pela própria internet. “Haverá o celular, onde temos presença forte, e os programas na nuvem, pela internet, acessados pelo navegador. E quem tem mais de 50% dos servidores de web? Nós.”

Pelo modelo, o Linux está registrado sob uma licença de uso especial, conhecida como GPL (sigla para GNU Public License). Escrita pelo ativista e “hacker de todos os hackers” Richard Stallman, a GPL estabelece que o programa deve ser livre para qualquer pessoa possa utilizá-lo e até alterá-lo – desde que, como contrapartida, essa alteração também seja disponibilizada publicamente sob a mesma licença. Pela ética hacker, programas registrados sob GLP são como um presente para a humanidade.

“Há pessoas do mundo inteiro que colaboram para o Linux. Dos Estados Unidos, Alemanha, México… Muita gente do Brasil, inclusive”, diz Torvalds. Da versão atual do kernel do Linux, Torvalds é autor de cerca de 2% do código. “Hoje em dia eu programo pouco, eu acabo organizando o que outras pessoas escrevem. Respondo e-mails o dia inteiro.” A ele resta o controle, a palavra final sobre cada solução de programação proposta para entrar no código do kernel.

O Linux, acredita, já estaria pronto até para continuar evoluindo sem a ajuda de seu criador. “Eventualmente, sim, eu não estarei frente o desenvolvimento do ‘kernel’ para sempre. Posso ficar doente ou mesmo morrer mergulhando em Fernando de Noronha”, brinca. “Mas há pelo menos 10 pessoas que estão preparadas para assumir meu trabalho a qualquer momento.”

Então por que o finlandês não para e aproveita sua fortuna estimada em US$ 20 milhões para ficar mais do que três dias no arquipélago brasileiro? “Não é que o Linux não pode sobreviver sem mim, eu é que gosto de fazer isso, não consigo me imaginar fazendo outra coisa. Eu sou apaixonado pelo que faço, e acho que vou continuar assim por muitos e muitos anos.”

Fonte: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2010/09/sistema-operacional-para-pcs-vai-se-tornar-irrelevante-diz-criador-do-linux.html

Lançada edição n.17 da Revista Espírito Livre!

quarta-feira, setembro 1st, 2010

Revista Espírito Livre - Ed. #017 - Agosto 2010

Revista Espírito Livre – Ed. #017 – Agosto 2010
Revista Espírito Livre - Ed. n #017 - Agosto 2010

Esta edição apresenta a seus leitores um tema que já deixou de ser novidade, mas que conforme a evolução tecnológica se apresenta diante de nossos olhos, se torna uma pauta cada vez mais preocupante. Ao falar de TI Verde, diversos sub-temas nos veem a mente: reciclagem, economia de energia, uso sustentável de nossos bens, melhor utilização de nossos computadores, cuidados com o meio ambiente como um todo e não somente no que diz respeito a nossa “lixeira”. Será que estamos fazendo a nossa parte? Será que existe isso de “nossa parte”? Adianta fazer algo ou nos resta apenas assistir o fim?! As questões são muitas e nesta edição tentamos trazer, não respostas, mas reflexões sérias sobre estes e outros temas relacionados. Os conceitos de TI Verde já amadureceram bastante, a ponto de se criarem legislações específicas em certas ocasiões. Usuários e empresas já compreenderam que diante desta nova realidade, não basta sentar e assistir, é preciso que algo seja feito, já que muitos concordam que estamos em um caminho sem volta.

Nossa entrevista internacional da edição é com Kirk W. Cameron, criador do Granola, um software que gerencia de forma inteligente a energia utilizada por computadores, disponível para diversas plataformas, além de seu código ser aberto e gratuito. Bianca Oliveira faz reflexões sobre TI Verde, meio ambiente e Mercado. João Carlos Caribé fala sobre a matriz de forças da sustentabilidade e questões polêmicas envolvendo o tema. Ricardo Ogliari fala sobre TI Verde, sensores e computação úbiqua. Cezar Taurion, Yuri Almeida, Alexandre Oliva e outros colunistas fixos também retratam muito bem o tema  recorrente em nossos telejornais.

Além do tema principal, tivemos diversas participações que merecem ser citadas. Marlon Ferrari fala sobre Python no cenário empresarial, enquanto Otávio Santana fala sobre GWT, kit de ferramentas de desenvolvimento para aplicações web feito pela Google. Flávia Suares e Joelias Júnior falam sobre duas ferramentas interessantes para os usuários do Twitter: Lambitter e Twitradio. Wilkens Lenon fala sobre os mais diversos sabores do Software Livre, citando várias distribuições GNU/Linux e suas diferenças. Bruno Cezar Rocha fala do Web2Py, um framework para desenvolvimento web em Python, enquanto Igor Morgado trata de Gerenciamento de unidades no Linux. Além destes, outros também contribuiram e o meu sentimento é de muita gratidão com todos.

A Revista Espírito Livre enviou ainda um correspondente que trará notícias sobre a LinuxCon São Paulo, que ocorre nos próximos dias. Em breve teremos notícias de lá! Também estamos com palestra agendada na grade do FASOL 2.0, em Santarém/PA. Além disso, a Revista Espírito Livre está pipocando de promoções. Solicitamos que estejam atentos pois entramos em contato com os ganhadores apenas via email – o mesmo informado no cadastro de cada promoção. Também é interessante lembrar que se você já se inscreveu em uma promoção, pode se inscrever novamente em outras! A partir daí é torcer para ser sorteado.

Gostaria de agradecer a colaboração de toda a equipe e já adiantar o meu pedido de desculpas por não ter publicado todas as matérias que estão em nossa fila de tarefas. Estamos em busca de novos colaboradores, inclusive diagramadores que utilizem Scribus, para tentarmos agilizar diversos processos dentro da revista. Se você utiliza Scribus e quer contribuir, entre em contato!

Ah! Talvez seja hora de desligar o computador e plantar uma árvore…

Fonte: http://www.revista.espiritolivre.org/?p=625