junho, 2011

...now browsing by month

 

Feminino Livre representa mulheres da tecnologia no fisl12

quinta-feira, junho 23rd, 2011
Fl

A força feminina estará presente na 12º edição do Fórum Internacional Software Livre. Mesmo sendo minoria no mercado da tecnologia, as mulheres mostram a cada nova edição do fisl que já são peça fundamental no segmento. O Grupo de Trabalho Feminino Livre comandará ações que planejam divulgar a contribuição feminina para o uso do Software Livre despertando o sentido de compartilhamento de experiências e informações.

O movimento busca mais interessadas em difundir o uso de tecnologias livres, através de atividades que seguem os modelos de organização e espírito colaborativo.

Paloma Costa, uma das coordenadoras do GT Feminino Livre, reafirma a importância do evento no calendário mundial do setor.

“O fisl representa para o nosso grupo uma oportunidade para nos tornarmos referência em tecnologias livres para as mulheres. Ponto de fusão para aqueles que querem conhecer e experimentar a liberdade.”

Confira as atrações:

30/6 às 14h

Paloma Costa: Mesa Redonda : Mulheres de TI: perspectivas de futuro.

Discute aspectos comportamentais e políticos, para responder a questão: as mulheres não se interessam em trabalhar com tecnologia ou o mercado, que carece de mão de obra qualificada e paga altos salários, ainda impõe barreiras para elas?

29/6 às 9h

Andreza Leite: Ferramentas Open Source para Cloud Computing.

No Cloud Computing o armazenamento de dados é feito em serviços que poderão ser acessados de qualquer lugar do mundo, a qualquer hora. O acesso aos arquivos é remoto, através da Internet – daí a alusão à nuvem.O encontro trata das principais ferramentas e sistemas livres participantes no processo de implantação, configuração e gerenciamento do ambiente.

02/7 às 16h

Rochele Prass: Além do código: inclusão social através da linguagem universal do software livre.

Com o objetivo de despertar o interesse das mulheres para o Software Livre, público notoriamente menos numeroso na área, o encontro aborda a necessidade de compartilhar com diversas áreas do conhecimento a responsabilidade sobre o desenvolvimento de tecnologias livres.

FONTE

Mozilla lança nova versão do Firefox – O primeiro navegador a suportar a opção “Não me rastreie” em várias plataformas.

terça-feira, junho 21st, 2011

A  Mozilla, organização global sem fins lucrativos dedicada a tornar a web melhor, lançou hoje a nova versão do Mozilla Firefox para Windows, Mac, Linux (http://www.mozilla.com/firefox/new/) e Android (https://market.android.com/details?id=org.mozilla.firefox).
A nova versão do Firefox vem na trilha da grandiosa versão 4 do navegador, a qual teve mais de 200 milhões de downloads para Windows, Mac e Linux e milhões de downloads no Android Market.
A Mozilla recentemente alterou sua forma de trabalho para um  ciclo rápido de desenvolvimento (http://blog.mozilla.com/blog/2011/04/13/new-channels-for-firefox-rapid-releases/) que entrega melhoras precisas de recursos do Firefox, melhoras de performance, atualizações de segurança e melhoras de estabilidade mais rapidamente para os usuários.
A última versão do Firefox inclui mais de 1000 melhoras e aumentos de desempenho, que facilitam a descoberta e o uso dos novos recursos do Mozilla Firefox. Essa versão inclui suporte para as mais modernas tecnologias web, o que torna a criação de complementos para o Firefox, aplicações web e websites mais fácil e mais divertida para desenvolvedores web.
O Firefox 5 para Android inclui o recurso de privacidade “Não me rastreie” , tornando assim o Firefox o primeiro browser a suportar “Não me rastreie” (http://firstpersoncookie.wordpress.com/2011/05/24/catching-up-on-dnt-developments/) em várias plataformas.
A Mozilla criou o “Não me rastreie” para dar aos usuários mais controle sobre como a sua maneira de navegar na internet é utilizada na web. Esse recurso, que permite aos usuários informar aos sites que eles desejam ser excluídos do rastreamento de comportamento online, é agora encontrado mais facilmente nas Preferências do Firefox.
O Mozilla Firefox oferece aos usuários controle completo sobre a aparência e funcionamento do seu navegador através de uma galeria de centenas de milhares de complementos. Cerca de 85% dos usuários do  Firefox 4 possuem um complemento instalado para customizar a aparência, os recursos e o funcionamento do seu browser.
A Mozilla possui um enorme conjunto de recursos que facilitam o desenvolvimento de complementos atrativos para o Firefox (http://blog.mozilla.com/addons/2011/06/21/add-on_sdk-builder-_beta/) usando HTML, JavaScript e CSS.
O novo SDK de desenvolvimento de complementos para o Firefox no Windows, Mac e Linux (https://addons.mozilla.org/developers/builder) permite a criação local de complementos, enquanto o Firefox Add-on Builder Beta (https://builder.addons.mozilla.org) provém um ambiente web para criação. Os desenvolvedores podem criar complementos do Firefox para todas as plataformas. Eles serão instalados e atualizados sem necessidade de reinicialização do browser ou interrupção da navegação.
O Firefox para Windows, Mac e Linux agora suporta novos padrões de animações CSS, que permitem à desenvolvedores  criar mais aplicações web maravilhosas!
O Mozilla Hacks possui um tutorial sobre animações CSS ( http://dbaron.org/log/20110615-animations) e um post completo mostrando o que os desenvolvedores podem fazer no Firefox (https://hacks.mozilla.org/2011/06/firefox5).
Para baixar a última versão do Firefox para Windows, Mac ou Linux clique em “verificar atualizações” no menu “Sobre o Firefox” ou baixe o Firefox Aurora e Beta (http://www.mozilla.com/firefox/channel/).
Visite esta página [https://market.android.com/details?id=org.mozilla.firefox] para baixar a última versão do Firefox para seu dispositivo Android. Usuários que já possuem o Firefox para Android instalado receberão um aviso sobre a nova versão.
Para maiores informações:
FAQ:
Firefox para Windows, Mac e Linux (http://www.mozilla.com/press/faq/fx/)
Firefox para  Android (http://www.mozilla.com/mobile/faq/)
Notas técnicas da versão:
Firefox para Windows, Mac e Linux (https://www.mozilla.com/firefox/5.0/releasenotes/)

A Internet sob ataque – Encontro Nacional de Blogueiros – Por João Carlos Caribé

terça-feira, junho 21st, 2011

A Internet sob ataque – Encontro Nacional de Blogueiros from João Carlos Caribé on Vimeo.

20 anos do Linux será marcado com selo comemorativo

segunda-feira, junho 20th, 2011
Selo

O Projeto Software Livre Brasil e a Associação Software Livre.Org criaram um selo para celebrar os 20 anos do Linux, comemorados em 3 de abril. Uma data tão importante para a comunidade Software Livre e para os amantes do pinguim não podia passar em branco e o fisl12 será o palco perfeito para a celebração. Além do selo, que pode ser baixado aqui, a ASL irá distribuir adesivos comemorativos durante o fisl.

Inúmeras comemorações também estão programadas pela Linux Foundation, que criou um hotsite especial para divulgar as atividade, que incluem festas, concursos e vídeos. Participe! Coloque o selo no seu site, blog ou mídia social e venha buscar o seu adesivo e celebrar com a gente no 12º Fórum Internacional Software Livre – fisl12, que acontece de 29 de junho a 2 de julho, em Porto Alegre.

Baixe o selo aqui: selo_20.png.zip

Adicione o selo ao seu avatar nas redes sociais clicando aqui.

Para saber mais, acesse:

http://www.linuxfoundation.org/20th/

FONTE

Como fazer uma bela limpeza no Gmail

segunda-feira, junho 20th, 2011


Quando estreou, em 2004, o Gmail tinha 1 GB e isso parecia bom demais. Era um exagero! Todo mundo pensava que jamais seria possível lotar essa caixa de entrada. O tempo passou, o webmail do Google multiplicou sua capacidade e… mesmo assim nós estamos prestes a esgotar o espaço disponível no serviço. A seguir, algumas dicas para evitar essa inesperada catástrofe.As dicas para limpar o Gmail não são mágicas. Infelizmente não existe um programinha mágico que faça isso. Existem por aí ferramentas de backup que baixam as mensagens, ordenam por tamanho e depois permitem sincronização. Acho isso horrível. Tenho uns 7 GB de mensagens lá e não quero baixar e bagunçar tudo. Por isso, acho que o melhor caminho é primeiro fazer uma faxina e depois criar rotinas “saudáveis”. Por exemplo;

1 – Jogue o lixo fora: Como tudo acontece automaticamente, você pode nem perceber, mas o Gmail está lotado de Spam. Clique no menu Spam e depois no link Delete All Spam messages now. Isso já vai ajudar a livrar de alguns MBs.

2 – Caça aos mamutes: O campo de busca do Gmail é muito poderoso e muito esquecido. Para encontrar as mensagens mais pesadas que estão comendo espaço, use a busca com o operador “filename:”. Recomendo começar com o óbvio “filename:pps” para encontrar e apagar os inúteis arquivos de PowerPoint que você recebe da sua tia. Depois, experimente“filename:wmv”, “filename:mov” e “filename:MP3”

3 – Mate as velhinhas: Outro operador legal é o “before:”. Você pode encontrar mensagens velhas que não servem mais para nada usando a combinação “before:2008/10/10”. Para a coisa ficar ainda melhor, coloque “has:attachment before:2008/10/10″ –assim você mata as “velhinhas mais pesadas”.

4 – Forward to hell: Mais um operador útil para encontrar coisas inúteis é o “subject:”. Recomendo buscar por “subject:Fw” para encontrar mensagens encaminhadas. Geralmente elas são legais e engraçadas (ou até importantes) na hora, mas depois viram lixo. Também pode ser uma boa usar o “subject:” para apagar conversas de listas de e-mail das quais você participa.

5 – Limpeza nos Rascunhos: O Gmail salva versões temporárias das mensagens enquanto você está as escrevendo. Muitas vezes, essas mensagens não têm motivo nenhum para serem guardadas. Mas elas ficam ali, na pasta Drafts (Rascunhos, em português). Dê uma visita ali e apague o que for supérfluo.

6 – Depois da faxina: Não caia no erro de não apagar mensagens e sempre arquivá-las. O melhor mesmo é apagar o que não é importante e depois ir até o Lixo e removê-las também de lá. Faça isso uma vez por semana, para não acumular tanto.

7 – Dica do @soumarcao: Tinha me esquecido, mas pelo Twitter o @soumarcao lembrou: um bom jeito de apagar lixo do Gmail é removendo os itens enviados.

Liberdade vigiada no mundo virtual

domingo, junho 19th, 2011

Perfis em comunidades têm hoje tanta utilidade para os empregadores quanto currículos.

Ferramentas de comunicação rápida, vitrines profissionais, espaços para relacionamento. Para que servem as redes sociais? Muitos ainda têm dúvidas e evitam se conectar. Mas se a ideia é fazer uso dessa tecnologia, é importante levar em conta que, na vida pessoal ou na carreira, podem haver ganhos ou prejuízos. Diretora geral do iDigo — Núcleo de Inteligência Digital, Joyce Jane observa que, atualmente, um perfil virtual tem tanta utilidade quanto o clássico currículo na avaliação de candidatos.

“Entre os motivos apontados por empregadores para não contratar profissionais em função do que viram nas redes, estão vazamento de informações relacionadas a empregos anteriores, comentários negativos sobre chefes e colegas, relatos de situações ilícitas ou de má conduta, fotos comprometedoras, como usando drogas, além de excesso de erros de gramática”, relaciona Joyce.

Para ela, opiniões bem consolidadas, ponderadas, mesmo que contrárias à do leitor, ajudam a formar imagem positiva. Por outro lado, a falta de cuidado nas redes — como emprego de expressões grosseiras e pontos de vista que demonstrem falta de caráter, ética e comprometimento — pesa negativamente, defende. Assim como analisam a qualificação técnica, diz a executiva, as empresas estão cada vez mais interessadas em traços pessoais.

Coordenadora de Gestão de Carreiras da Fiap (Faculdade de Informática e Administração Paulista), Janete Teixeira Dias ressalta o fato de as redes sociais serem campo muito novo. “A rapidez desse recurso, porém, leva o usuário a postar em perfis do twitter e do Facebook, por exemplo, sem pesar os desdobramentos”, constata Janete.

Ela lembra que há softwares que rastreiam tudo relacionado ao nome de uma pessoa e que tenha sido publicado em comunidades: “Hoje, busca-se liberdade nas relações de trabalho, mas é ingênuo achar que exposição não impacta a vida profissional”.

Uma nova área profissional

Estudante de Publicidade e Propaganda da UFRJ, Gabriel Sampaio, 21 anos, trabalha em área que surgiu por consequência da expansão das comunidades. Ele foi contratado para cuidar de mídias sociais na casa de entretenimento Lapa 40 Graus, no Centro Histórico do Rio, e elabora as promoções. Usuário de twitter, Facebook e Orkut, ele conta que não tinha critérios e passou a ser mais discreto após receber toques de amigos: “Hoje, procuro me policiar”.

Mas Gabriel separa o que diz ser vida social e vida pessoal, o que abre discussão para a confusão em relação à exposição pública. Na verdade, uma vida não está dissociada da outra. Relacionamento nas redes diz respeito ao universo social, mas também pessoal, porque enseja posturas e interação, a não ser que o dono do perfil seja mero observador.

“Tento ser o mais natural possível. Tem gente que desabafa, dá conta do que está fazendo e para onde vai viajar. Fala de sentimentos. Há um limite”, diz ele, explicando que só fala sobre sua vida em um contexto em que só as pessoas que o conhecem vão entender. Será?

Joyce Jane, do iDigo, tem dicas para quem não quer escorregar: “Todo mundo tem direito de brincar, se soltar, ter uma vida além do profissional. Só é preciso tem bom senso sobre o risco de se expor”.

DICAS DO IDIGO

  • VALORES
    Não é difícil ver pessoas falando mal do chefe ou da empresa em que trabalham nas redes. Isso é muito ruim. Cada vez mais, as empresas estão interessadas em características pessoais dos profissionais, valorizando caráter, comprometimento, espírito de equipe, liderança e outras.
    .
  • AFINIDADE
    Se o objetivo é uso profissional, o ideal é a pessoa seguir quem recomenda ou produz informações relevantes; participar de comunidades da área de interesse; fazer conexões no linkedin com usuários que tenham propostas afins; trocar ideias no Facebook com amigos que tenham as mesmas afinidades.
    .
  • ETIQUETA
    Valem todas as regras de educação em comunidades, aliadas a boas doses de bom senso. Há casos de pessoas demitidas porque falaram mal de cliente, empresa em que trabalham, chefe ou fizeram brincadeiras de mau gosto.
    .
  • NÃO SEJA CHATO
    Muitos passam o dia gerando conteúdo, às vezes, sem importância. Além de se tornar chatos, passam impressão de desocupados.
    .
  • CONFIGURE
    Redes podem ajudar muito profissionalmente. São espaços para compartilhar ideias, informar-se. É importante também se reservar, optando pelas configurações de privacidade.

Fonte: O Dia – http: // odia terra com br

Gnome 3 com barra inferior, menu de aplicativos e outros (Fedora 15)

quinta-feira, junho 16th, 2011

No Gnome 3 você sente falta de:

  • uma barra inferior que mostra os aplicativos em execução?
  • aplicativos favoritos na barra superior?
  • Menu de aplicativos?

Há um pacote de extensões para Fedora que deixa o Gnome-shell com essas funcionalidades e outras como: hora perto do nome, número de áreas de trabalho fixo, opção de desligar pelo menu sem segurar Alt.

Veja como seu Gnome 3 ficará:

Linux: Gnome 3 com barra inferior, menu de aplicativos e outros (Fedora 15)

Vídeo mostrando apenas a extensão de barra inferior:

Você pode acessar a página das extensões em:

Mas se quiser pode baixar o RPM aqui.

Após instalar determine o número fixo de áreas de trabalho já que o mesmo agora usará Super + setas para esquerda e direita. Tecle Alt + F2 e use o comando “gconftool-2 -t int -s /apps/metacity/general/num_workspaces 4″ sem aspas ou digite-o no terminal:

$ gconftool-2 -t int -s /apps/metacity/general/num_workspaces 4

Depois Alt + F2 novamente e o comando “restart” (sem aspas) para reiniciar o Gnome-shell com as extensões.

Recomendo ainda instalar a extensão para alternar janelas com Alt+tab:

$ sudo yum install gnome-shell-extensions-alternate-tab

Se instalar essa extensão precisará reiniciar o Gnome-shell novamente.

Se ainda quiser mais extensões use o comando:

$ sudo yum search gnome-shell-extension

Ou procure mais na Internet como por exemplo em:

12º Fórum Internacional Software Livre anuncia mais 5 atrações internacionais

terça-feira, junho 14th, 2011
Foto4_5

O fisl, que já teve entre seus palestrantes grandes personalidades da tecnologia, não apenas interessados em trazer conhecimento para aqueles já familiarizados com o universo da informática, mas também dispostos a discutir questões políticas e socioculturais.  Nesta 12ª edição não será diferente. Entre as últimas participações confirmadas estão o cofundador do  Grupo de Desenvolvimento Global PostgreSQL, Bruce Momjian, e desenvolvedores em Android para o Google.

Confira os palestrantes recém confirmados:

Bruce Momjian – cofundador do  Grupo de Desenvolvimento Global PostgreSQL, trabalha com PostgreSQL desde 1996. É autor do livro “PostgreSQL: Introdução e conceitos, publicado pela Addison-Wesley. Bruce é empregado da EnterpriseDB. Antes era empregado da SRA Japan e da Great Bridge LLC, todas companhias de suporte PostgreSQL. Já palestrou em diversas conferências open-source internacionais.

Takanori Suzuki – membro da comunidade Zabbix-JP. Atualmente trabalha para o Miracle Linux, um distribuidor na Ásia, desde 2007. É um participante  muito ativo na comunidade Zabbix, e tem trabalhado para prover serviços Zabbix.

Tim Bray – desenvolvedor de software, fundou duas companhias e escreveu mais de um milhão de palavras em seu blog. Atualmente, ele é Desenvolvedor Evangelista na Google, focado em Android.

Trevor Johns – Engenheiro de Desenvolvimento de Programas para o Android na Google. Antes de entrar para a equipe Android, ele trabalhou no Google Data APIs para o Blogger, Google Calendar, Contacts e Spreadsheets. Ele se graduou na Universidade do sul da Califórnia, onde obteve um mestrado em Ciência da Computação e um bacharelado em Engenharia da Computação.

Lenz Grimmer – membro da equipe de Gerenciamento de Produto Linux da Oracle, tem estado envolvido com Linux e Open Source desde 1995. De 1998 a 2002, trabalhou como engenheiro de distribuição para a SuSE AG em Nuremberg, Alemanha. Depois entrou para a MySQL AB como engenheiro de lançamento e depois tornou-se membro da equipe de Relações comunitárias do MySQL. Nesse cargo ele passou pela transição da Sun Microsystems para a Oracle.

O fisl12 ocorre de 29 de junho a 2 de julho, no Centro de Eventos da PUCRS, em Porto Alegre, RS, Brasil. Mais informações pelo site http://www.softwarelivre.org/fisl12.

FONTE

We don’t need more education – Por Marcelo Rubens Paiva

terça-feira, junho 14th, 2011

Nos anos 50, vislumbrava-se a revolução que viria na década seguinte.

O rebolar de Elvis, os três acordes que compunham a maioria das músicas de rock, a poética e o comportamento beat desmataram a trilha para a manada que mudou o mundo, a da contracultura e revolução sexual.

O mesmo parece ter ocorrido nos anos 90.

O surgimento dos “browsers” [depois navegadores] popularizaram a internet, rede criada para manter cientistas e forças armadas conectadas 24 horas.

Veio o boom do e-mail, sites de notícias e os primeiros passos dos sites de busca.

O Yahoo começou com dois estudantes de Stanford, que foram capas de revistas por se associarem a Wall Street pela “fortuna” de US$ 10 milhões, quando ainda não tinham trocado a carteirinha de estudante por uma de trabalho.

Depois, outros dois malucos de Stanford inventaram o Google.

O e-mail passou a ser gratuito.

O MSN possibilitava o papo distante e concomitante.

Bill Gates assustava o mundo. Seria o anticristo?

Pelos corredores das grandes empresas de comunicação, perguntavam onde era o abrigo para o apocalipse dos seus negócios.

Os mais lúcidos sugeriam que o lance era se associar a esta gente que não usava terno e gravata e não frequentava as quadras de esporte.

Ao mesmo tempo, os celulares ficavam menores, mais baratos e com aplicativos.

Fez história a palestra que Marluce Dias [então na cabeça das Organizações Globo] proferiu em Angra para os diretores da empresa, anunciando que o maior concorrente da TV passava a ser o celular.

Acharam que a chefe estava delirando.

A inflação da maioria dos países parecia sob controle.

Os juros bancários despencavam.

O mercado financeiro e os fundos bilionários precisavam de novas aplicações.

Seria AOL ou Amazon o negócio do futuro? O Google?

Um site brasileiro de buscas chegou a ser comprado por uma telefônica por R$ 300 milhões?

Talvez a revolução digital fosse um delírio de “college guys”, atualmente apelidado como nerds, ou geeks.

É uma ansiedade do mercado, uma roubada como o laserdisc (não tive um), o sistema Betamax (venceu o NTSC), o computador Dismac (eu tive um), o Second Life e tantas bugigangas tecnológicas que não decolaram?

Eu e meu incrível Dismac, made in brazil

Entramos no ano 2000 sem o bug do milênio e com a revolução ganhando forma.

O controle da informação implodiu.

A palavra de ordem foi: internet [conteúdo] nasceu para ter custo zero.

Começou com o Napster, que em 2001 já tinha 8 milhões de piratinhas trocando músicas.

A revolução recuou um passo e avançou dois.

Músicas, filmes, fotos e livros estão na rede.

Surgem Lime Wire, My Space, The Pirata Bay, UTorrent, 4Share, YouTube e uma infinidade de meios de troca de arquivos em paralelo ao Orkut e outras ferramentas chamadas de redes sociais.

Um nerd com cara de bobo de Harvard e um algoritmo bem sacado enfeitiçou com seu FaceBook.

Lawrence Lessing em seu discurso na reunião do G8 mês passado foi além.

Lembrou que, curiosamente, tudo nasceu no portão de entrada do sistema educacional, ou nas redondezas, não depois do baile de formatura.

Tradução: as não empresas que estão desenhando o futuro, moleques solitários, jubilados, desistentes.

O capital não gera novidades. Compra.

O Skype embrulhou a telefonia mundial livre e ameaça empresas de telefonia; o YouTube, emissoras de TV; o Netflix, operadoras de TV a cabo.

1. Netscape, o primeiro browse, foi criado por um desistente da faculdade.

2. Hotmail, por um imigrante indiano e vendido à Microsoft por US$ 400 milhões.

3. O ICQ, por um garoto israelense cujo pai tentou vender o programa à AOL por US$ 400 milhões.

4. O Google, por dois jovens que pularam fora de Stanford.

5. O Napster, por um desistente da faculdade.

6. O YouTube e o Yahoo, por dois alunos de Stanford quenão se formaram.

7. O Kazaa e o Skype, por jovens da Dinamarca e da Suécia.

8. O Facebook, a gente viu o filme.

9. O Twitter, inventado por outro que não esperou o diploma.

Outra coisa em comum: a maioria foi criada por jovens que largaram os estudos ou não são norte-americanos.

Hoje suas empresas valem mais do que toda a indústria automobilística.

A inovação vem de fora.

Prova de que a universidade [o Estado] não tem cumprido o seu papel.

Ou que talvez não precisemos mais dela para desenvolver tecnologia digital.

Pink Floyd tinha razão:

We don’t need no education

We don’t need no thought control

FONTE

Grade de programação do fisl12 é atualizada online

segunda-feira, junho 13th, 2011
1edu07

Já está disponível para visualização uma prévia da programação do 12º Fórum Internacional Software Livre. Os interessados em conhecer os dias e horários das palestras e demais atividades do maior evento de software livre da América Latina podem acessar a grade preliminar, através do link Programação.

A grade é atualizada automaticamente cada vez que um palestrante confirma o horário de sua palestra. A possibilidade de acompanhar a construção da grade online é mais uma demonstração da forma colaborativa com que o evento é realizado.

FONTE