agosto 22nd, 2011

...now browsing by day

 

Quais as vantagens de se usar uma distribuição Linux?

segunda-feira, agosto 22nd, 2011

Esse artigo mostra de forma simples as vantagens de usar o GNU/Linux.

As vantagens mais conhecidas são ser grátis e de código fonte aberto. Além dessas, enumero outras que nem todos conhecem e que podem pesar bastante na hora de escolher sua plataforma.

Live-CD/Live-Pendrive – Um dos diferenciais mais marcantes do GNU/Linux é o uso do Live. Com o Live-CD ou o Live-Pendrive, você dá “vida própria” à sua máquina. Não é preciso instalar o sistema operacional para que ela funcione. Dessa forma, você poderá baixar e testar várias distribuições até que encontre aquela que melhor se adapte ao seu perfil.

Não fique parado aguardando a instalação – Tendo provado e aprovado a distribuição, você certamente vai querer usufruir dos benefícios oferecidos e resolvendo instalar o sistema operacional em seu computador, perceberá que diferentemente dos outros, é possível iniciar a instalação e simultaneamente, continuar a utilizar sua máquina, sem necessidade de parar suas atividades.

Facilidade de uso – A interface é amigável e tanto os usuários novos quanto os que já utilizam outros sistemas operacionais não tem dificuldades em reconhecer ícones e menus apresentados, adaptando-se rapidamente. A instalação de softwares fica bastante facilitada pois o reconhecimento dos drivers é quase sempre automático.

Uso democrático – Máquinas mais antigas não são consideradas obsoletas. O desenvolvimento de novos aplicativos que atendam as restrições de equipamentos que não sejam de última geração, aumenta a vida útil do computador.

Possibilidade de escolher a interface gráfica – No mundo do GNU/Linux, existem vários ambientes gráficos. Cada um tem um propósito, os mais conhecidos são o KDE, Gnome e XFCE.

Essa interface gráfica visa a elegância e usabilidade. Para quem procura um ambiente gráfico nesse padrão, é uma boa escolha. O único senão que vejo no KDE é que ela pode deixar seu computador um pouco mais lento, dependendo da configuração do seu hardware.
Essa interface gráfica visa a simplicidade, rapidez e facilidade de uso. Está longe de ser uma interface desagradável à vista. Por ser padrão é mais simples, mas nada impede de deixá-la mais atraente. Se você é como eu, prefere uma interface leve, limpa e rápida, a melhor escolha é o Gnome.
Essa interface gráfica visa a utilização do Linux em computadores mais antigos e com pouco hardware, assim como o Gnome ela é simples e rápida.
Quer conhecer outras interfaces gráficas?Basta navegar na internet para poder descobrir e conhecer melhor cada uma delas.Vale a pena essa pesquisa! O que não falta é opção.

Repositórios – São locais onde encontramos uma lista de programas desenvolvidos para GNU/Linux. Esses programas estão garantidos pelos responsáveis pela distribuição, ou seja, se ele está na lista, quer dizer que o programa é confiável para instalação. Existem softwares gerenciadores, específicos para facilitar a instalação, como por exemplo a Central de programas do Ubuntu, Synaptic ou o MCC (Mandriva Control Center – Central de Controle do Mandriva), assim, basta selecionar o programa em uma lista e marcar para que seja instalado.

Vírus, trojans, malwares e outras pragas – Antes que alguém pergunte se existe algum desses males para GNU/Linux, a resposta é SIM, porém, é mais difícil ser infectado devido à sua configuração de segurança e acesso.

Segurança – O GNU/Linux por natureza é um Sistema Operacional seguro mas não podemos esquecer que ainda não inventaram um Sistema anti-usuário, ou seja, aquele que prevê e impede todas as possíveis besteiras que nós usuários possamos fazer quando estamos num dia de azar ou no mundo da lua. Então, onde está a segurança? No Linux, o próprio Kernel já tem um firewall, mas você pode instalar outras ferramentas de segurança e claro, anti-vírus também. Porque não?

Seja pelo visual, pela facilidade de uso ou possibilidade de aplicação em CPU’s mais antigas, o GNU/Linux com certeza vai te agradar.

Você pode começar a testar algumas distribuições GNU/Linux como o Ubuntu (http://www.ubuntu.com/), Mandriva (www2.mandriva.com/pt/) Ou ainda acessar esse site www.zegeniestudios.net/ldc/index.php?select_lang=true para descobrir qual distribuição se encaixa a seu perfil.

Antes de embarcar nessa jornada, seguem algumas dicas:

Não estou aqui pra dizer que Linux é melhor ou pior que outros Sistemas Operacionais. Cada um tem sua parte boa e ruim, pois não existe programas perfeito. Com isso quero deixar claro que, antes de se aventurar a usar o GNU/Linux você precisa saber algumas coisas:

Tire da cabeça que o GNU/Linux é difícil e para nerds. Isso é coisa do passado, e com a evolução constante das interfaces gráficas e de todo o sistema e seus aplicativos cada vez fica mais fácil.

A maioria das coisas que você sabe fazer no Windows ou Mac-OS pode e vai ser utilizado no GNU/Linux querendo ou não. Os aplicativos comuns que tudo usuário utiliza como por exemplo as suítes de escritório, são usadas da mesma maneira, como, teclas de atalho, alguns menus etc.

O GNU/Linux é diferente de Windows, não vai querer usar achando que tudo igual. Por exemplo “.exe” não é pra GNU/Linux e sim pra Windows. Sua conta de usuário tem alguns privilégios de administrador, porém é limitada, então tarefas como instalação, acessos a algumas pastas e alterações de arquivos vão exigir a senha do administrador (root).

O usuário root é o Todo Poderoso no GNU/Linux ele é quem manda e desmanda, como ele você pode tudo inclusive ferrar com o sistema (lembre-se ainda não criaram um sistema anti-usuário). No GNU/Linux por padrão de segurança você não loga mais como root, e em algumas distribuições ele vem desabilitado, justamente para evitar acidentes. Se for usar o root use com moderação e sempre encerre a sessão depois que terminar de usar.

O terminal, a famosa linha de comando não é nenhum bicho de 7 cabeças, tem horas que é melhor e mais rápido usá-lo.

Crie usuários para cada pessoa que for usar o GNU/Linux e senhas fortes, nada de data de nascimento, nome de cachorro, placa de veiculo. Misture letra maiúscula com minúscula, números e caracteres especiais. Ex. *L1nUx?=31, ou seja, usei a palavra Linux misturando letras, números e caracteres especiais e tem mais de 8 dígitos. (claro isso vale pra qualquer senha, Sistemas Operacionais, orkut, e-mail etc.).

Uma das mais importantes, se vai usar o GNU/Linux não tire seu Windows, use o que chamamos de dualboot, você mantém o Windows e separa uma parte do seu HD (Disco Rígido) para instalar a distribuição de sua preferência. Quando se sentir seguro, estará pronto para fazer a migração completa ou até mesmo manter os dois sistemas.

FONTE