setembro 4th, 2011

...now browsing by day

 

Coletivo pela liberdade na internet do Brasil conquista prêmio FRIDA

domingo, setembro 4th, 2011


O movimento brasileiro Mega Não foi anunciado no último dia 01 de setembro, como um dos cinco ganhadores do Prêmio FRIDA. Os jurados consideraram que o ativismo do projeto teve destaque na luta contra a censura de conteúdos na Internet. Como parte do Prêmio, o Mega Não representará o Brasil no 6º encontro anual do IGF e no LACNIC XVI.

Lançado esse ano, o Prêmio FRIDA é oferecido pelo Registro de Endereços Internet para a América Latina e o Caribe (LACNIC), o Centro Internacional de Pesquisas para o Desenvolvimento (IDRC) e a Internet Society (ISOC). Seu objetivo é reconhecer projetos e iniciativas que colaboram de forma significativa com o uso da Internet como catalisador para a mudança na América Latina e o Caribe. Seguindo a temática desse ano para o encontro anual do Fórum de Governança da Internet – IGF 2011, a premiação se dividiu em quatro áreas (acesso, liberdade, desenvolvimento e inovação) e ainda abriu espaço para a melhor campanha 2.0.

O Movimento Mega Não – criado por um grupo de ativistas para lutar contra o vigilantismo e pela liberdade na Internet – foi a única iniciativa brasileira a conquistar o Prêmio FRIDA. Concorreram 123 projetos de 34 países, incluindo Canadá, México, Argentina e Chile. Só do Brasil, foram inscritos 51 projetos, dentre os quais o Cidade Democrática, a Transparência Hacker e a MetaReciclagem.

O anúncio dos ganhadores foi realizado nesta última quinta feira, por meio do site oficial do Prêmio e por email:

Es un placer informarle que su proyecto fue elegido por el jurado del Premio FRIDA IGF 2011 como el mejor de la categoría Libertades. El jurado consideró su iniciativa como “un proyecto que muestra una destacada actividad a nivel público y político para evitar la censura de los contenidos de Internet”.

É um prazer lhe informar que seu projeto foi eleito pelo juri do Prêmio FRID IFG 2001 como o melhor na categoria Liberdades. O Jurado considerou sua iniciativa como “um projeto que mosta uma destacada atividade à nivel público e político para evitar a censura dos conteúdos da Internet”.

Além do Mega Não, foram premiados o uruguaio Plan Ceibal, na categoria acesso; a Red Educativa Mundial, na categoria Desenvolvimento e o argentino Mercedes y Marcos Paz Digital, na categoria Inovação. Como parte do Prêmio, os vencedores irão ao próximo Encontro Anual do Fórum de Governança da Internet em Nairóbi, no Quênia (27-30 setembro 2011) e no LACNIC XVI em Buenos Aires, Argentina (3-7 outubro 2011).

O reconhecimento Internacional por importantes instituições ligadas à governança da rede e ao fomento do desenvolvimento, demonstram que o Movimento “Mega Não” esta no caminho certo. Além dos frutos plausíveis nesta luta das multidões utilizando a web como principal ferramenta para seus objetivos.

A conquista do Prêmio FRIDA levará o Movimento Mega Não à um novo patamar, possibilitando alianças com movimentos semelhantes na América Latina e na Africa formando uma forte frente para garantir o direito de expressão e liberdade na rede em prol do progresso  e da luta das minorias nestas nações.

Sobre o Mega Não

O Movimento Mega Não surgiu a partir da luta da sociedade Brasileira contra o PL 84/99 que havia acabado de retornar do Senado para a Câmara dos Deputados. O principal objetivo do movimento foi de concatenar em um único site todos os movimentos e eventos contra este projeto que irá criar uma forte camada de controle na web sob o argumento de coibir cibercrimes. A agenda de movimentos foi adicionado uma série de estudos com o objetivo de embasar a luta pela liberdade na rede. O movimento a partir deste ponto foi ganhando visibilidade e hoje tornou-se sinônimo da luta pela liberdade na web.