O tempo não para…

Written by Alessandro Moura on novembro 25th, 2009
IBM PC XT – Onde tudo começou!
Ainda agora me peguei viajando no tempo e fui me encontrar na primeira vez que eu vi um computador, nao me lembro o ano mais sei que era bem pequeno e vi um TK85 funcionando com fita K7 em uma oficina eletrônica de Cajazeiras e fiquei boquiaberto o cara da oficina disse que estava pra vender e quase tirei o juizo de minha Mãe para que ela comprasse pra mim. Não tive sucesso, acho que ela deve ter pensado: “Que invenção mais besta deste menino!”, rsrsrsrs.
O tempo passou, esqueci aquele “brinquedo” e chegou o ano de 1992, quando num fim de tarde eu estava passando de blicicleta e vi fixado na parede de uma casa um anuncio de um curso de informática, olhei pela janela da casa e vi um computador em cima de uma mesa, meus olhos brilharam. Corri para casa e fui logo chegando e pedindo a meu Pai e minha Mãe para eles me inscreverem naquele curso de informática e a resposta foi positiva, daí fui correndo lá na casa para saber informações do curso e quanto custaria… Foi aí que conheci Demogenes o professor que iria ministrar o curso, ele estava usando um computador IBM PC XT com aquela tela verde(linda) e já pedi para ele guardar uma vaga para mim turma a ser iniciada. Daí começou a ansiedade para o início do curso de “Processamento de Dados e Programação em DBASE III Plus e Clipper”. E as aulas começaram, que maravilha, comecei a ter contato com aquelas máquinas espetaculares, logo me ofereci para ajudar na impressão das apostilas e no que mais Demogenes precisasse de minha ajuda. Usava o programa FACIL executado direto de um disquete de 5 1/4 e mandava o comando print para que as apostilas fossem impressas em uma impressora matricial, tratei logo de comprar uma caixa de disquetes para salvar meus arquivos e copiar(já era pirataria?) os programas FACIL, FORMAX, BANNER e um joguinho chamado Prince of Persia. Mas pra quê eu queria copiar os programas se eu nem tinha computador? Realmente, só que eu tinha certeza que isto seria o próximo passo. Frequentei cada dia do curso com sede de informação e carregava todos os dias aquela caixa de disquetes com o cuidado de como se estivesse carregando um notebook(o que é isso?).
Concluído o curso, continuei ajudando Demogenes na turma seguinte pois precisava praticar o curso e não tinha computador em casa. Passava de vez em quando na prefeitura para conversar com o Sr. Zezinho Abelhinha(in memorian) que era contador da prefeitura e também participou do curso e tinha um PC XT na prefeitura que ele usava e eu aproveitava para praticar também. Ele também tinha um PC XT em casa e vez por outra me convidava para usar o computador da casa dele. E assim eu ia praticando o curso concluído.
Cheguei a desenvolver um software de controle de estoque e tentei vender por telefone a uma loja de eletropeças de Cajazeiras, não tive coragem de ir pessoalmente na loja vender o software pois eu era bastante tímido. O proprietário da loja me respondeu: “Eu não tenho nem computador, pra que eu vou querer um programa?”, depois disso desisti de tentar vender o software e passei algum tempo sem praticar até comprar meu primeiro computador, que aí já é uma outra história.
Olho no retrovisor e vejo que bastante tempo passou, mas a paixão por informática cresce cada dia mais e me envolve de uma maneira que não consigo mais imaginar minha vida sem ela.
 

Leave a Comment





captcha service